Sobre nós

A J. Inácio, é o resultado da evolução de vários projetos levados a cabo com sucesso pelo seu fundador Joaquim Barreiras Inácio, que em 1967 criou a Matos & Inácio, empresa totalmente dedicada à manutenção e reparação de máquinas agrícolas. Desta empresa resultou em 1969 a RAD (Reparadora Auto Dagordense), que seguiu a vocação do seu fundador, dedicando-se em exclusivo ao serviço técnico de máquinas agrícolas.

Em 1980, surgiu a necessidade da comercialização de máquinas agrícolas para além da sua manutenção e reparação, pelo que se criou com esse fim a empresa Pereira & Inácio. Em 1983 esta sociedade deu início à relação com a John Deere através da FASSIO, seu antigo importador.

Em 1990 surge finalmente a J. Inácio, que deu seguimento ao trabalho iniciado pela Pereira & Inácio com a John Deere, especializando-se cada vez mais na comercialização e reparação de máquinas agrícolas.
Na sequência do bom trabalho desenvolvido com a marca John Deere, em 1995 a J. Inácio assina o contrato de concessão com a JDISA, (John Deere Ibérica, SA), ampliando a sua área de atuação com a marca John Deere em todo o distrito de Lisboa e sul do distrito de Leiria.

O crescimento das vendas obrigaram a empresa a adquirir em 1997 as atuais instalações da sua sede na Vermelha, concelho do Cadaval, que desde essa data têm vindo a sofrer sucessivas remodelações e ampliações.

Em 2008 deu-se a primeira expansão da área de concessão da J. Inácio, tendo esta absorvido o norte do distrito de Leiria, e metade do distrito de Santarém.

Em 2010, estabeleceu na Palhoça, Figueiros, no concelho do Cadaval o seu atual Centro de Usados, que lhe permitiu aumentar a sua área de exposição de maquinaria usada, concentrando-a num só local de grande visibilidade.

Em 2011 deu-se a segunda expansão da sua área de concessão com a John Deere, tendo assumido a totalidade do distrito de Setúbal.

Em 2014 a J. Inácio, fica com a concessão da John Deere, para todo o distrito de Coimbra, consolidando assim a sua terceira expansão.

O crescimento de área de concessão e consequentemente de vendas e serviço, impulsionou a criação de novas instalações na Golegã, que foram concluídas em 2016, tendo no ano seguinte dado início à construção do atual Centro de Montemor-o-Velho que se conclui em 2019.